O POUSO DOS PASSARINHOS

HINOS DE AMBIVALÊNCIA #2

O Pouso dos Passarinhos

Haste torre,
onde pousa os passarinhos
Não sei o que faço
Tabuleiro desalmado
Há meses que não chove
Os carniceiros nem se esforçam
Eu me destruo involuntariamente.

Haste torre,
onde canta os passarinhos
O canto me atordoa
Busco um lugar mais claro
Carrego os pesos mortos,
que em outrora já foram brutos
e difíceis de domar.

Haste torre,
onde comem os passarinhos
Sinto um cheiro podre
Perdi meu cavalo,
perdi para um jogo sem inimigos
Sem estratégias e sem amigos
Já nasci condenado.

Haste torre,
onde voam os passarinhos
Derrubei a torre
Agora grito para eles
Um grito definitivo
Eles fogem, pra longe
Não vão mais voltar.

Haste torre,
onde pousa os passarinhos
Mas eles sempre voltam
Trazem consigo o verão,
Que já vinha em jejum
Esse ano vai ser difícil.
Acho que não vou conseguir.

Lucas Rodrigues