QUE SEJA DOCE

EPÍGRAFE #4

Cinco anos após a fatídica noite que fez o futuro arquitetado de Robin ruir, ela tenta sobreviver em meio a dificuldades, cuidando sozinha de seu filho, Bernardo, e trabalhando em um emprego que odeia, após abandonar o sonho de abrir a própria doceria. Decidida de que não há espaço e nem tempo para paixões em sua vida, a confeiteira faz de tudo para não ser notada, mas o acaso se encarrega de dar a Robin uma transferência no emprego, que a leva para outra cidade, para outra pessoa.

Dominic é apaixonado por palavras e vê nelas, sejam faladas, escritas ou cantadas, uma chance de mudar vidas. Com a carreira de psicólogo em ascensão, ele está de volta à sua cidade natal e deseja apenas um colega para dividir o aluguel. Uma confusão com os nomes desses dois e voilà: temos a receita perfeita para cenas hilárias, fortes emoções, um romance com cheirinho de chocolate e potência para aquecer os forninhos.

Autor(a): Sara Fidélis


Resenha

Fazendo jus ao nome do título, realmente é um doce de comédia romântica.

Robin junto com seu filhinho fofo Bernardo, ou como chamado pelo apelido carinhoso de Minduizinho, estão há procura de alguém para dividir o aluguel de um apartamento e sua amiga Mariana acaba achando alguém, assim pensa Robin.

Dominic é psicólogo  tem métodos diferentes com seus pacientes que chama atenção de Robin. Dom, ainda não sabe mas Robin possui um passado que ela continua a trazer para o presente.

“ Porque desejar, quando se pode ter? Viva de maneira que não restem arrependimentos no fim. De modo que todos os bens que alcançar não sobreponham em seu coração o lugar dos momentos vividos com seus amados.”

Apesar de nunca terem se visto antes, existe um clima tenso quando ficam no mesmo espaço. Como tentativa de diminuir essa tensão e clima de troca de farpas, Robin leva sua vovó Rute para casa. A velhinha torna a história muito divertida com suas conversas malucas sobre iluminatis. E em diversos momentos Robin prepara doces, por ser apaixonada por doceria e ter um sonho distante de montar uma.

A escritora da autora é envolvente e a vovó Rute e o Minduizinho são personagens que deixam a trama fofa e divertida. A história aborda temas sobre perdão e recomeços, de se dar uma segunda chance. Dom com sua experiência e seu método de recadinhos ajuda bastante Robin com seu passado.

“ Escolha não apenas observar, mas fazer parte, compor o todo e sentir. Porque no fim, não importam os ressentimentos ou a tristeza; no fim, são os sorrisos, os abraços e as caricias, que fazem com que sua jornada valha a pena. “

O desfecho guarda surpresas e revelações de sentimentos. O ebook está disponível no kindle unlimited e nas ultimas páginas a autora conta várias receitas citadas por Robin no livro, escrito na epígrafe.

Avaliação

Avaliação: 4 de 5.

MIL BEIJOS DE GAROTO

EPÍGRAFE #3

Um garoto. Uma garota. Um vínculo que é definido num momento e se prolonga por uma década. Um vínculo que nem o tempo nem a distância podem romper. Um vínculo que vai durar para sempre. Ao menos era o que eles imaginavam. Quando, aos dezessete anos, Rune Kristiansen retorna da Noruega para o lugar onde passou a infância – a cidade americana de Blossom Grove, na Geórgia –, ele só tem uma coisa em mente: reencontrar Poppy Litchfield, a garota que era sua cara-metade e que tinha prometido esperar fielmente por seu retorno. E ele quer descobrir por que, nos dois anos em que esteve fora, ela o deletou de sua vida sem dar nenhuma explicação.

Autor(a): Tillie Cole


Resenha

Mil beijos de garoto é um young adult pra ler com uma caixa de lencinhos do lado.

“ Talvez porque às vezes tudo que temos são momentos. Porque não há repetições; o que acontece em um momento define a vida – talvez seja a vida. Capturar um momento em filme o mantém vivo para sempre. ”

Rune Kristiansen aos 5 anos de idade muda-se de Oslo para Geórgia e vai morar vizinho a uma garotinha chamada Poppy Litchfield, carismática e simpática. Poppy possui uma grande conexão e afeto com sua vó que acaba falecendo logo no começo do livro, mas que vai explicar o título do livro e leva emoção página por página. Rune e Poppy são melhores amigos e o casal perfeito, até que 10 anos depois o pai de Rune precisa voltar para Oslo á trabalho por 2 anos.

“ Porque precisamos esperar até ficar sem tempo para começar a conquistar tudo o que sonhamos, quando um dia tínhamos todo o tempo do mundo? Porque não olhamos para a pessoa que mais amamos como se fosse a última vez que a vemos? Porque, se olhásemos a vida seria tão vibrante. A vida seria tão verdadeira e completamente vivida.

É difícil de ver os dois se separando, mas ficamos com aquela esperançazinha de que a distância nem o tempo vão acabar os sentimentos que sentem um pelo outro. No começo da mudança para Oslo, Rune e Poppy conseguem manter contato, que vai se desvaindo até que Poppy some completamente. Nos deixando com o coração apertado e curiosos para saber o que aconteceu.

Dois anos se passam até que Rune finalmente volta para Geórgia determinado a encontrar Poppy e saber os motivos de ela tê-lo abandonado. E ai vem uma grande surpresa e rios de lágrimas!! No desenrolar da história acontecem diversas surpresas e momentos que vão deixando o coração do leitor cada vez mais quentinho. E o final é de deixar o queixo caído de extremamente emocionante e surpreendente.

Trata-se de uma leitura que já no começo da vontade de chorar. Apesar de ser uma história de amor que começou cedo, é notável que realmente foram feitos um para o outro. Em todo o decorrer da história a autora consegue prender a atenção e sempre com muita emoção e drama. Nos assuntos abordados, a autora além do romance, também traz a evolução da relação de Rune com seu pai. Também, sem palavras para a avó de Poppy, uma senhorinha bastante espiritual que transmite lindos ensinamentos e reflexões.

“ Esta vida… bem, ela é só uma grande aventura enquanto a temos. Uma aventura para apreciar e amar com todo o nosso coração antes ir para a maior aventura. ”

É um dos meus livros favoritos da vida e o que eu mais chorei lendo. Está disponível gratuitamente no kindle unlimited, escrito na epígrafe.

Avaliação

Avaliação: 5 de 5.

PROCURA-SE UM MARIDO

EPÍGRAFE #2

Protagonista de Procura-se um marido, Alicia sabe curtir a vida. Já viajou o mundo, é inconsequente, adora uma balada e é louca pelo avô, um rico empresário, dono de um patrimônio incalculável e sua única família. A morte do querido familiar muda completamente o rumo da história criada pela autora Carina Rissi.

Vô Narciso a excluiu da herança, alegando que a neta não tem maturidade suficiente para assumir seu império – a não ser, é claro, que esteja devidamente casada. Era algo inimaginável para Alicia que, então, decide burlar o testamento com um plano maluco e audacioso: colocar um anúncio no jornal para encontrar um marido de aluguel. Diversos candidatos respondem ao anúncio, mas apenas um deles será capaz de fazer o coração de Alicia bater mais rápido, transformando sua vida de maneiras que ela jamais imaginou.

Autor(a): Carina Rissi


Resenha

Romance nacional? Temos! Meu primeiro romance nacional  e também primeiro livro lido da autora. Já adianto que estou ansiosa para ler outras obras da Carina !

Nessa história vamos conhecer uma garota ousada, independente, que gosta de aproveitar a vida, de personalidade forte e que não tem medo de se meter em confusões. Perdeu seus pais com cinco anos de idade e desde então mora com seu avô Narciso, empresário renomado e rico. Alicia sempre teve o que queria, já viajou o mundo, aprontou bastante, sempre com o apoio do seu avô. Mas agora com a morte dele, sua vida vai mudar completamente.

A vida da nossa protagonista vira de cabeça para baixo quando é lido o testamento do seu avô em que declara que, a herança milionária só será dela quando ela arranjar um marido e completar um ano de casada. Apesar de que no início Alicia sentiu raiva do avô por discordar que ela precise estar casada para assumir sua empresa, é notório sua conexão com seu avô. Esse é um dos pontos positivos que gostei na história, a autora deixa claro o amor do avô pela neta, mas ao tempo nos faz perguntar o porquê de sua atitude do testamento.

Sem as regalias do avô, Alicia se vê obrigada a trabalhar, mas claro, pensando em jeitos de burlar o testamento. E é ai que ela nos surpreende com sua ideia de colocar um anúncio no jornal  que anunciando anonimamente à procura de um marido de aluguel. E quem vai se candidatar fazendo Alicia tremer na base? O mocinho arrogante! A trama do livro é bem envolvente e divertida com os dois em clima de cão e gato, mas com aquela pitada de atração quando estão perto um do outro. A autora deixa o leitor curioso para saber o que vai acontecer com os dois. Será romance ou interesse de negócios?!

Ao decorrer da história várias situações acontecem, as quais Alicia nunca esperava passar na vida, mas que contribui para o seu amadurecimento. Ela antes sustentava sua vida de luxo por meio do avô, e se vê em situações de aperto que precisa trabalhar e se dedicar muito para ter como sobreviver. E o final… Cheio de surpresas e revelações. Gostei da escrita autora, de como ela evoluiu a personagem e conduziu a trama de maneira fluída. Além de que me fez dar boas risadas com o jeito ousado e rebelde de Alicia, escrito na epígrafe.

Avaliação

Avaliação: 4 de 5.

CIDADES DE PAPEL

EPÍGRAFE #1

Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro dia qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita.
Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia.

Autor(a): Jhon Green


Resenha

Confesso que escolhi ler esse livro com muitas expectativas por já conhecer outras obras do autor. Porém, todas as minhas expectativas foram frustadas e confesso que demorei bastante para conseguir terminar de ler. Quentim estuda na mesma escola que Margo mas possuem o circulo de amigos diferentes. E observando Margo com seus amigos na escola ele acaba criando uma versão própria dela para si, contudo, ao decorrer do livro ele vai descobrindo que sua versão criada de Margo na verdade é muito distante do real.

Um dia Margo aparece na janela de Quentin o chamando para participar de seu plano de vingança, essa dia fica marcado para Quentin como um dia em que ele saiu totalmente de sua rotina e embarcou em aventuras malucas com seu amor platônico. No dia seguinte Margo some e Quentin por estar apaixonado por ela fica preocupado e uns dias depois resolve ir a procura dela. Apesar do autor deixar um ar de curiosidade em o leitor querer saber onde a protagonista foi parar, a narrativa de todo o percurso do Quentin e seus amigos indo atrás das pistas deixadas  acaba sendo cansativa e nada envolvente.

Ao decorrer do livro Quentin passa por experiências em que ele nunca pensou passar e por uma garota e seus amigos também ajudam a procurá-la. Ao mesmo  tempo, quanto mais eles chegam perto de achá-la, mais eles sentem que não a conhecem tanto quanto imaginavam. O ponto negativo dessa parte do livro é que eu achei que embora tenha aventuras a escrita do autor não conseguiu passar as emoções da aventura, acaba demorando muito de uma pista a ser seguida para outra, para mudar o rumo dos personagens. O ponto positivo é que a história passa a mensagem de que assim como Quentin podemos criar versões de pessoas a partir de nossas observaçõs, podendo até fazer julgamentos, quando deveríamos dar uma chance de conhece lás e saber quem realmente quem são e o que pensam, escrito na epígrafe.

Avaliação

Avaliação: 2 de 5.