O POUSO DOS PASSARINHOS

HINOS DE AMBIVALÊNCIA #2

O Pouso dos Passarinhos

Haste torre,
onde pousa os passarinhos
Não sei o que faço
Tabuleiro desalmado
Há meses que não chove
Os carniceiros nem se esforçam
Eu me destruo involuntariamente.

Haste torre,
onde canta os passarinhos
O canto me atordoa
Busco um lugar mais claro
Carrego os pesos mortos,
que em outrora já foram brutos
e difíceis de domar.

Haste torre,
onde comem os passarinhos
Sinto um cheiro podre
Perdi meu cavalo,
perdi para um jogo sem inimigos
Sem estratégias e sem amigos
Já nasci condenado.

Haste torre,
onde voam os passarinhos
Derrubei a torre
Agora grito para eles
Um grito definitivo
Eles fogem, pra longe
Não vão mais voltar.

Haste torre,
onde pousa os passarinhos
Mas eles sempre voltam
Trazem consigo o verão,
Que já vinha em jejum
Esse ano vai ser difícil.
Acho que não vou conseguir.

Lucas Rodrigues

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s